Tag Archives: equilíbrio entre vida profissional

An Instructional Experience

Acabei de terminar o meu primeiro mandato como professor na Universidade de Administração de Cingapura,,en,Eu ensinei um curso de graduação chamado computador como ferramenta de análise,,en,que está na modelagem de negócios e apoio à decisão baseada em dados,,en,Eu tinha cerca de,,en,em três seções de três horas de aula cada por semana,,en,Eu tenho que dizer a coisa toda foi uma experiência muito enriquecedora,,en,as razões por trás desta declaração será exposta em,,en,teorizado e hipótese,,en,este é Blog Unreal,,en. I taught an undergraduate course called Computer as an Analysis Tool, which is on business modelling and data-driven decision support. I had about 130 alunos, in three sections of three classroom hours each per week. I have to say the whole thing was a very enriching experience. Claro, the reasons behind this statement will be expounded on, theorized and hypothesized – this is Unreal Blog, afinal.

Continue lendo

Êxitos Internas e Externas

O sucesso pode ser interno ou externo. Sucesso externo é facilmente medido em termos de dinheiro e bens materiais. A uma interno é medido em termos de bitolas menos palpáveis, como a felicidade, paz de espírito etc. Sucesso externo está relacionado com qualidades extrovertidos, como articulação, e depende do que os outros pensam de você. A interna, por outro lado, Depende do que você pensa de si mesmo. Ela é composta de coisas como dever, honra etc. Uma confusão com os outros leva a equívocos como identificar dinheiro com felicidade, por exemplo. Você precisa de um para o outro, mas eles definitivamente não são o mesmo.

Continue lendo

Como ser bem sucedido na vida?

Quando eu falei sobre as dimensões de sucesso, Eu usei a palavra dimensão com um motivo oculto. Eu quero definir o sucesso para você de uma maneira formal. Entende, uma entidade que tem muitas dimensões é um espaço, semelhante à do espaço tridimensional em que vivemos. Quando temos um espaço multi-dimensional tão complexo para definir o sucesso na, temos que aplicar algumas boas técnicas da física para fazê-lo direito. Não se preocupe, Estou aqui para ajudar.

Continue lendo

Dimensões do Sucesso

O dinheiro é apenas uma dimensão ao longo da qual o sucesso pode ser definido. Existem muitos outros, como esportes, música, arte, atuação, política, profissões e as coisas ainda mais abstratos como articulação, soft skills, filantropia, sabedoria, conhecimento etc. Excelência em qualquer um deles pode ser considerado nos sucesso. O sucesso é fácil de detectar - olhar para qualquer uma das celebridades e perguntar por que você conhecê-los. A resposta geralmente é uma das dimensões de sucesso - e fama seu subproduto.

Excelência em qualquer campo pode se traduzir em dinheiro, que é o que Eddie Felson em A Cor do Dinheiro diz o jogador mais jovem piscina. Este transformabilidade muitas vezes nos leva a confundir dinheiro para o sucesso medida, que, a propósito, é o tema do filme acima mencionado. Perto do final do filme, quando Felson percebe que há mais na vida do que dinheiro, , diz ele, "Eu só quero o seu melhor jogo." Habilidade para sair com o melhor jogo ninguém pode repartir em qualquer campo é a excelência; e tem que ser contada como sucesso. Esta excelência é provavelmente o que os antigos gregos chamavam arete.

Continue lendo

Definição de Sucesso

Todos nós queremos ser bem sucedido na vida. O que o sucesso significa para nós? Porque o sucesso é objetivo na vida, quando não é alcançado, ficamos desapontados. Estamos em seguida, para ser franco, malsucedida. Mas a palavra sucesso pode conter qualquer coisa dentro. Então, se você não sabemos o que é sucesso, decepção é inevitável. Nós realmente precisamos defini-lo.

Vamos passar por algumas definições comuns de sucesso e ver se podemos tirar conclusões a partir dele. Até o final desta série de posts, Espero dar-lhe uma boa definição que você vai fazer sucesso na vida. O que mais se pode pedir de um blog?

Continue lendo

Você é um introvertido?

Here is a simple 20-question quiz to see if you are an introvert or an extrovert. Introverts tend to agree with most of these statements. So if you get a score of close to 100%, you are a confirmed introvert, which is not a bad thing. You are likely to be a quiet, contemplative type with strong family ties and a generally balanced outlook in life. Por outro lado, if you get close to 0%, congratulations, I see stock options in your future. And you are a party animal and believe that life is supposed to be wall-to-wall fun, which it will be for you. I’m not too sure of those in the middle though.

These questions are from Susan Cain’s best seller, Quiet: The Power of Introverts in a World That Can’t Stop Talking, and a prelude to my review of it. The questions are copyrighted to Cain, and are reproduced here with the understanding that it constitutesfair use.If you have any concerns about it, não hesite em contactar-me.

Era seu, Agora Mina

I feel I have lived through an era of great changes. The pace of change can seem accelerated if you travel or emigrate because various geographical regions act as different slices in time. Eu tive o benefício (ou o azar) de várias emigrações. Com isso, juntamente com a minha idade avançada, Eu sinto como se eu já vi um monte. A maioria do que eu tenho visto me enche de um pressentimento de melancolia e desgraça. Talvez seja apenas o pessimismo característico de uma mente excessivamente cínico, ou talvez seja a verdadeira decadência de nossos padrões éticos globais.

No lado positivo, o ritmo da mudança é realmente rápido e furioso. Este é o tipo de mudança que você gosta — você sabe, vinil para enrolar a fita de cassete para MP3 para tipo iPod. Ou a linha de terra para satélite para a célula para Skype Twitter espécie. Contudo, juntamente com esta faixa positiva e óbvio de mudanças, há uma pista lenta e insidiosamente preocupante subindo em nós. É N Este contexto que eu quero reutilizar a alegoria mais utilizado do sapo-em-um-pot.

Se você colocar um sapo em água quente, ele vai saltar para fora da panela e salvar a sua pele. Mas se você colocar o sapo em água fria, e lentamente aquecer a panela, ele não vai sentir a mudança e deixe ferver até a morte. A lentidão da mudança é mortal. Então deixe-me ser o sapo com delírios de grandeza; permitam-me destacar as mudanças insalubres acumulando em torno de nós. Entende, juntamente com o milagre tecnológico que estamos vivendo, há um pesadelo econômica ou financeira que está se espalhando seus tentáculos sobre todos os aspectos da nossa existência social e política, transfixando tudo no lugar em seu aperto de vice-like. Lentamente. Muito lentamente. Devido a isso espera invisível em nós, com todos os iPod que comprar, nós (a classe média) levar um par de dólares desde o pobre e dá-lo ao muito rico. Nós não vejo isso dessa forma porque alguns de nós fazer alguns centavos no processo. O franqueado loja da Apple faz alguns centavos, o empregado-of-the-mês ganha um aumento de token, um desenvolvedor de maçã pode desfrutar de umas férias agradáveis, ou um alto executivo pode receber um novo jato, a economia do país vai acima de um entalhe, NASDAQ (e assim por pensões de todos) sobe uma pequena fração — todos estão felizes, direito?

Bem, existe esta pequena questão do material de embalagem que pode ter matado parte de uma árvore em algum lugar, no Brasil, talvez, onde as pessoas não sabem que as árvores pertencem a eles. Pode ser um pouco de poluição escapou para o ar ou um rio na China, onde os moradores não perceberam que esses recursos são as suas heranças. Pode ser algum lixo moderadamente tóxico acabou em um aterro sanitário em África em algum lugar onde eles não compreendi bem o conceito de propriedade da terra. Ele pode ter custado um desenvolvedor em Bangalore ou uma menina de call-center em Manilla uma ou duas horas mais do que deveria, porque eles não sabem que o tempo é um recurso de baixo comprou e vendeu alta em mercados que não ver ou saber de. É a partir desses lugares distantes e pessoas fantasmas que pegar um par de dólares e passar para os cofres corporativos igualmente distantes e os mercados de ações. Tomamos o que não é nossa dos proprietários desconhecidos para alimentar a avareza dos jogadores invisíveis. E, como Milo Minder Binder diria, todo mundo tem uma quota. Este é o capitalismo moderno da era corporativa, onde nós nos tornamos pequenos engrenagens em uma roda gigante inexoravelmente rolando a nenhum lugar em particular, mas obliterando muito no processo.

O problema com o capitalismo como ideologia econômica é que é praticamente sem oposição agora. Somente através de um conflito de ideologia pode um saldo de algum tipo emergem. Cada conflito, por definição, requer adversários, pelo menos dois deles. E o mesmo acontece com uma luta ideológica. A luta é entre o capitalismo eo comunismo (ou o socialismo, Eu não tenho certeza da diferença). O ex diz que devemos demitir os mercados e deixar a ganância eo egoísmo o seu curso. Bem, se você não gosta do som “ganância e egoísmo,” tentar “ambição e unidade.” Associá-la com palavras como liberdade e democracia, e esta “Laissez-faire” ideologia a la Adam Smith é uma fórmula vencedora.

De pé no outro canto é a ideologia adversária, que diz que devemos controlar o fluxo de dinheiro e recursos, e espalhar a felicidade. Infelizmente essa ideologia foi associado com palavras desagradáveis ​​como o totalitarismo, burocracia, assassinato em massa, campos de morte do Camboja etc. Não é de admirar que perdeu, guardar para esta potência econômica chamada China. Mas a vitória da China não serve de consolo para o campo socialista porque a China fez isso redefinindo o socialismo ou o comunismo significa essencialmente o capitalismo. Assim, a vitória do capitalismo é, para todos os efeitos, um slam dunk. Para os vencedores pertencem a espólios da história. E assim, a ideologia sócio-político-econômica do capitalismo beneficia a associação melífluo de palavras agradáveis ​​como liberdade, igualdade de oportunidades, democracia etc., enquanto o comunismo é uma experiência fracassada relegado para o “also-ran” categoria de ideologias como o fascismo, Nazismo e outras coisas do mal. Assim, a batalha entre o capitalismo e os movimentos ocupar-Wall Street é pateticamente assimétrica.

A batalha entre dois oponentes bem combinado é bom para assistir; dizer, um jogo entre Djokovic e Federer. Por outro lado, uma “jogo” entre Federer e me seria emocionante só para mim — se isso. Se você estiver em entretenimento violento, uma luta de boxe entre dois pesos pesados ​​seria algo interessante de se assistir. mas um boxeador musculoso batendo The Living Daylights fora de um e dois anos de idade, só vos encha de revolta e desgosto (que é semelhante à sensação que tive durante a Guerra do Golfo '91).

Não se preocupe, Eu não estou a ponto de defender ou tentar reanimar o socialismo neste blog, porque eu não acho que uma economia centralmente controlada funciona tanto. O que me preocupa é o fato de que o capitalismo não tem um adversário digno agora. Ele não deve se preocupar você também? Capitalismo corporativo está batendo The Living Daylights fora de tudo o que se poderia chamar de decente e humana. Devemos ignorar e aprender a amar a nossa indignação, apenas porque temos um share?

Foto por Byzantine_K cc

Ridiculous, Annoying and Embarrassing

Now it is official — we become embarrassing, ridiculous and annoying when our first-born turns thirteen. The best we can hope to do, evidently, is to negotiate a better deal. If we can get our thirteen year old to drop one of the three unflattering epithets, we should count ourselves lucky. We can try, “I may embarrass you a bit, but I do não annoy you and I am certainly not ridiculous!” This apparently was the deal this friend of mine made with his daughter. Now he has to drop her a block away from her school (so that her friends don’t have to see him, duh!), but he smiles the smile of a man who knows he is neither annoying nor ridiculous.

I did a bit worse, Eu acho que. “You are not que annoying; you are not always ridiculous and you are not totalmente embarrassing. Bem, not always,” was the best I could get my daughter to concede, giving me a 50% pass grade. My wife fared even worse though. “Ó, she is SOOO ridiculous and always annoys me. Drives me nuts!” making it a miserable 33% fail grade for her. To be fair though, I have to admit that she wasn’t around when I administered the test; her presence may have improved her performance quite a bit.

Mas, falando sério, why do our children lose their unquestioning faith in our infallibility the moment they are old enough to think for themselves? I don’t remember such a drastic change in my attitude toward my parents when I turned thirteen. It is not as though I am more fallible than my parents. Bem, may be I am, but I don’t think the teenager’s reevaluation of her stance is a commentary on my parenting skills. May be in the current social system of nuclear families, we pay too much attention to our little ones. We see little images of ourselves in them and try to make them as perfect as we possibly can. Perhaps all this well-meaning attention sometimes smothers them so much that they have to rebel at some stage, and point out how ridiculously annoying and embarrassing our efforts are.

May be my theory doesn’t hold much water — afinal, this teenage phase change vis-a-vis parents is a universal phenomenon. And I am sure the degree of nuclear isolation of families and the level of freedom accorded to the kids are not universal. Perhaps all we can do is to tune our own attitude toward the teenagers’ attitude change. Ei, I can laugh with my kids at my ridiculous embarrassments. But I do wish I had been a bit less annoying though…

Um Guia de Sobrevivência do Office

Vamos enfrentá-lo — pessoas trabalho hop. Eles fazem isso por uma série de razões, seja melhor escopo de trabalho, Buscamos patrão, e mais frequentemente, mais gordo salário. A grama é mais verde, muitas vezes, do outro lado. Realmente. Se você está seduzido pelo fascínio verde do desconhecido ou se aventurar em sua primeira pasto, muitas vezes você se encontra em um novo cenário corporativo.

No implacável, cão come cão selva corporativa, você precisa ter certeza do acolhimento. Mais importante, você precisa provar-se digno dela. O medo não, Estou aqui para ajudá-lo através dele. E eu vou aceitar de bom grado todo o crédito para sua sobrevivência, se o cuidado de torná-la pública. Mas lamento que (este jornal, me, membros de nossa família, cães, advogados e assim por diante) não pode ser considerado responsável por qualquer consequência indesejável de aplicar minhas sugestões. Venha, você deve saber melhor do que a base de sua carreira em uma coluna de jornal!

Esta renúncia leva-me naturalmente ao primeiro princípio eu queria apresentar para você. Sua melhor aposta para o sucesso da empresa é o de levar o crédito por todos os sucessos acidentais em torno de você. Por exemplo, se você acidentalmente derramou café em seu computador e ele milagrosamente resultou na fixação do CD-ROM que não tinha mexido no último trimestre, apresentá-la como sua curiosidade inata e habilidades para resolver problema inerente que levaram a procurar uma solução pouco ortodoxa.

Mas resistir a toda tentação de possuir até seus erros. A integridade é um grande traço de personalidade e pode melhorar o seu karma. Mas, tomar minha palavra para ela, ele não faz milagres em sua próxima bônus. Também não melhorar suas chances de ser o chefe do escritório de canto.

Se a sua debacle café, por exemplo, resultou em um computador que nunca mais veria a luz do dia (que, você admitiria, é um resultado mais provável), sua tarefa é atribuir a culpa para ele. Será que o seu colega no próximo ronco cubículo, ou espirrar, ou arroto? Poderia ter causado uma vibração ressonante em sua mesa? Foi a taça mal concebido com um centro maior do que o normal da gravidade? Entende, um grau de ciência vem a calhar a culpa ao atribuir.

Mas, falando sério, sua primeira tarefa em sobreviver em um novo ambiente corporativo é encontrar ganhos rápidos, para a lua de mel em breve serão mais. No trabalho de hoje, que você sabe que é mais importante do que o que você sabe. Então comece a rede — começar com o seu chefe que, presumivelmente, já está impressionado. Ele não teria contratado o contrário, seria ele?

Depois de atingir a massa crítica em redes, trocar as marchas e dar a impressão de que você está fazendo a diferença. Conheço um casal de colegas que manteve rede para sempre. Agradável, pessoas gregárias, eles são ex-colegas agora. Toda conversa e nenhum trabalho não vai levá-los longe. Bem, ele pode, mas você pode obter mais longe ao identificar avenidas onde você pode fazer a diferença. E por realmente fazer um pouco de diferença que enervante.

Concentre-se em suas competências essenciais. Seja positivo, e desenvolver uma atitude pode fazer. Encontre o seu lugar na imagem corporativa grande. O que a empresa faz, como é o seu papel importante no que? Em momentos, pessoas podem subestimar você. Sem ofensa, mas eu acho que alguns expatriados são mais culpados de subestimar-nos do que companheiros cingapurianos. Nosso alegada ausência de graça pode ter algo a ver com isso, mas isso é um assunto para outro dia.

Você pode provar que duvidam errado por meio de ações em vez de palavras. Se você é atribuída uma tarefa que você considera abaixo do seu nível de especialização, não se preocupe, olhar para o forro de prata. Afinal, é algo que você pode fazer em praticamente nenhum momento e com considerável sucesso. Tenho um casal de amigos incrivelmente talentosos no meu local de trabalho. Eu sei que eles encontram as tarefas que lhes ridiculamente simples. Mas isso só significa que eles podem impressionar o heck fora de todos.

Sucesso empresarial é o resultado final de uma guerra fora. Você tem que usar tudo o que você tem em seu arsenal para ter sucesso. Todas as habilidades, porém não relacionada, pode ser amarrado para ajudar. Jogar golfe? Convide o CEO para um amistoso. Jogar xadrez? Apresentá-la como a principal razão para suas habilidades de resolução de problemas naturais. Cante assombrando melodias em chinês? Organize um karaoke. Ser conhecido. Ser reconhecida. Ser apreciado. Ser lembrado. Ser perdida quando você se foi. No final do dia, o que mais há na vida?

How Friendly is too Friendly?

We all want to be the boss. At least some of us want to be the big boss at some, hopefully not-too-distant, future. It is good to be the boss. Contudo, it takes quite a bit to get there. It takes credentials, maturity, technical expertise, people skills, communication and articulation, not to mention charisma and connections.

Even with all the superior qualities, being a boss is tough. Being a good boss is even tougher; it is a tricky balancing act. One tricky question is, how friendly can you get with your team?

À primeira vista, this question may seem silly. Subordinates are human beings too, worthy of as much friendliness as any. Why be stuck up and act all bossy to them? The reason is that friendship erodes the formal respect that is a pre-requisite for efficient people management. Por exemplo, how can you get upset with your friends who show up thirty minutes late for a meeting? Afinal, you wouldn’t get all worked up if they showed up a bit late for a dinner party.

If you are friends with your staff, and too good a boss to them, you are not a good boss from the perspective of the upper management. If you aspire to be a high powered and efficient boss as viewed from the top, you are necessarily unfriendly with your subordinates. This is the boss’s dilemma.

From the employee’s perspective, if your boss gets too friendly, it is usually bad news. The boss will have your hand phone number! And an excuse to call you whenever he/she feels like it.

Another unfortunate consequence of accidental cordiality is unrealistic expectations on your part. You don’t necessarily expect a fat bonus despite a shoddy performance just because the boss is a friend. But you would be a better human being than most if you could be completely innocent of such a wishful notion. And this tinge of hope has to lead to sour disappointment because, if he your boss is friendly with you, he/she is likely to be friendly with all staff.

By and large, bosses around here seem to work best when there is a modicum of distance between them and their subordinates. One way they maintain the distance is by exploiting any cultural difference that may exist among us.

If you are a Singaporean boss, por exemplo, and your staff are all expatriate Indians or Chinese, it may be a good thing from the distance angle — cultural and linguistic differences can act as a natural barrier toward unwarranted familiarity that may breed contempt.

This immunity against familiarity, whether natural or cultivated, is probably behind the success of our past colonial masters. Its vestiges can still be seen in management here.

The attitude modulation when it comes to the right amount of friendship is not a prerogative of the bosses alone. The staff have a say in it too. As a minor boss, I get genuinely interested in the well-being of my direct reports, especially because I work closely with them. I have had staff who liked that attitude and those who became uncomfortable with it.

The ability to judge the right professional distance can be a great asset in your and your team’s productivity. Contudo, it cannot be governed by a set of thumb rules. Most of the time, it has to be played by ear and modulated in response to the changing attitudes and situations. That’s why being a good boss is an art, not an exact science.